6 de dez de 2012

A PROCURA DA FELICIDADE

Você pode ficar aí sentado assistindo a vida passar, ou fazer qualquer coisa para que alguém assista.
Pode passar o tempo desfrutando de tudo o que os outros fizeram, ou fazer algo para que alguém desfrute.
Pode decidir o que fazer, ou deixar que alguém decida por você.
Sua felicidade só depende de quem você se tornar, mas para você se tornar alguém, talvez tenha que aprender a andar sozinho, amar seus amigos, ou ser frio para não sofrer as conseqüências das emoções.
Talvez tenha que aprender a cozinhar, a dirigir, ou apenas mandar alguém fazer tudo enquanto você desfruta da liberdade.
Talvez seja importante que você viaje de navio pelo atlântico. Viaje de trem em Berlim, ou de bicicleta pela África.
Talvez você tenha que tropeçar em um meio-fio de uma calçada em New York e por isso ter uma idéia nova, desenhar crianças em papiro no Egito, fotografar as ruínas na Grécia, ou comer algo simples em Pequim.
Não importa o que você faça, não importa onde você esteja, nem como você estiver, haverá sempre motivos para ser feliz.
Talvez você tenha que comprar um vestido de noiva em São Paulo, comprar um par de sandálias no Havaí, ou apenas olhar e se encantar com as vitrines douradas em Dubai.
Talvez você tenha que tomar sorvete com seus amigos, ou colher frutas no bosque sozinho.




Talvez você tenha que fazer tudo isso, ou nada, para descobrir que a felicidade não está na quantidade de coisas que você faz, mas na qualidade dos momentos em que você vive.

Nenhum comentário:

Postar um comentário