29 de nov de 2016

O ENCANTO DE NOSSAS INTENÇÕES

Quando você, ao receber um presente de alguém, diz: - Ah não precisava! – está quebrando o encanto do verdadeiro propósito, que não é o objeto, mas sim a intenção.

A intenção é o verdadeiro presente.

O mesmo ocorre quando alguém lhe oferece ajuda ou companhia.

Mas se a pessoa não quer o presente, ou a ajuda, ou a companhia não deve mesmo aceitar. Pois seria desonesto consigo mesma.

Uma ação não deve ser feita apenas por necessidade, mas para que possamos nos dar a liberdade de gerar uma nova intenção. Liberdade de fazer por vontade própria. Para, aí sim atrair as reações do fenômeno da racionalidade do universo, que harmoniza os elementos aos eventos paralelos acontecendo ao mesmo tempo. Como por exemplo:um sentimento de amor alinhado com a intenção de um presente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário