VOCÊ É O AMULETO DA PROSPERIDADE

Preste muita atenção em suas emoções ao ler o conteúdo a seguir.
Se você sente repulsa, desprezo, aversão, tem pensamentos medíocres, ou qualquer outra sensação de desconforto ou desgosto pelas expressões que eu usarei para descrever o elemento do conteúdo, e, ao mesmo tempo, você vive num estado social monetizado, é bem provável que esteja passando por dificuldades financeiras e, esteja também, se sentindo infeliz e incompleto e, se não está passando por um momento de fracasso pode estar a caminho. Caminho que alias eu já rastejei por várias vezes e não quero voltar jamais. Por isso falo com propriedade.


Mas se você se sente a vontade e é otimista em relação ao elemento do contesto, então, sua vida pode estar passando por um momento de prosperidade, ou pelo menos, seguindo nessa direção e a prosperidade está mais próxima do que imagina.

Se você quer ter um terreno, ou uma casa, um carro, ou todo o conforto que sonha, precisa querer o dinheiro com a mesma força que quer todas as outras coisas de que sua vida precisa para se completar e se felicitar, pois todas essas coisas valem dinheiro e sem o dinheiro você não pode compra-las, e nem mesmo ganhá-las num jogo de sorte, ou de um amigo.

Como seria possível vivenciar a prosperidade num sistema social monetizado desprezando o principal elemento que contém o valor que possibilita a aquisição de tudo que é adquirível nesse sistema?

Querer ter mais dinheiro sempre não representa ganância, e sim segurança.

Se você ganhou um carro num sorteio; “Quanto vale esse carro”?

Então para entregar esse premio a você, a instituição administradora do sorteio teve que pagar em dinheiro esse valor.

Mesmo sem a moeda os valores das coisas continuam existindo. Não é o dinheiro que dá valor ao produto e sim a produção que agrega valor ao dinheiro.

Se você quer adquirir algo tem que aceitar o valor representado pelo símbolo que é o dinheiro. E não adianta dizer: “Ah, então eu só quero o suficiente para comprar as coisas de que preciso”.

Tudo que se adquire também requer um valor para ser mantido, portanto, se você quer ter apenas o dinheiro para manter as coisas, vai acabar perdendo-as logo em seguida, pois não terá o valor para mantê-las.

Quando se vive num estado em que tudo pode ser privatizado querer mais dinheiro não é ser ganancioso, e sim, consciente de que as coisas que você tem e as que ainda quer obter lhe custarão constantemente valor para adquiri-las, mantê-las, preservá-las, e mais, assegurá-las em caso de perda.

A ganância está no excesso, querer mais do que se precisa e se pode usufruir, ou querer tudo só para si, quando, ao ser compartilhado não lhe faltará.

Sem aceitar e querer o dinheiro, não se pode ter nem manter quaisquer objetos de valor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário